Arquivo da categoria ‘BMW’

BMW Z4 sDrive 35i: pecado da velocidade

Publicado: 30/09/2010 por jeftunado em BMW

Aceleramos o novo conversível de 306 cavalos da marca alemã

Saindo de um casamento na bicentenária Igreja do Largo de São Francisco, no coração de São Paulo, consegui a proeza de errar o caminho para a festa, praticamente no mesmo quarteirão. Depois de tentar em vão me encontrar, parei para me informar com o primeiro grupo que vi. Eram vários monges franciscanos, com roupas, cortes de cabelo e sandálias típicas da congregação. Eles me olharam espantados e não souberam informar o caminho. Só depois de me localizar (graças a um santo frentista), me dei conta do insólito da situação: um cara de terno e gravata, a bordo de um conversível alemão azul brilhante de R$ 307 mil, com duas belas garotas apertadas no banco do passageiro, colhendo informações com monges famosos pelo total desapego a bens materiais…

Senti-me o pecador em pessoa. Cobiça, soberba, ostentação, luxúria… O que eles teriam pensado de mim? Teriam me invejado? Duvido, não combina com a vocação deles. Compadeceram-se de minha alma? Provavelmente. Mas eu estava de consciência limpa. Afinal, havia orado na igreja e estava com o BMW Z4 por circunstâncias profissionais. As garotas? Eram apenas minha namorada e uma amiga dela.

Pecado, confesso, foi rodar em três num carro para duas pessoas, mas a moça estava sozinha e o Centrão é perigoso à noite. Heresia maior foi dispor desse esportivo num fim de semana cheio de compromissos na cidade grande. O Z4 fora de uma boa estrada é como um tubarão fora d’água (repare nas fotos e diga se não aprece um). Até nas compras do mês ele compareceu. Pelo menos com uma grande vantagem: o exíguo porta-malas me obrigou a manter o foco apenas nos gêneros de primeira necessidade. Ganância e gula ficaram de fora.

Mas até na cidade há folgas para desfrutar o prazer de acelerar o renovado roadster da BMW. No sábado ensolarado foi possível passear com o teto recolhido e até ensaiar vigorosas retomadas na Marginal Pinheiros, sem passar dos limites (basta de infrações). E rezando para não cair em buracos, pois a sensação é de que o Z4 vai desmontar todo. Por falar em teto, agora ele é rígido, o que elimina as versões da geração anterior (cupê ou conversível com teto de tecido).

Já que estamos falando em evolução, elas foram muitas no Z4. A começar pelo desenho, que perdeu as linhas côncavas e arredondadas da escola Chris Bangle, em detrimento de cortes mais retos e angulosos. Para quem curtia um estilo mais nostálgico, o anterior era mais interessante. Esta agrada a quem prefere um aspecto mais esportivo.

Esportividade que também é acentuada pelo novo motor seis cilindros em linha 3.0 de 306 cv, 75 cv a mais do que no antecessor. Mas como rodei apenas na cidade, desfrutei mais das retomadas impressionantes garantidas pelo torque igualmente impressionante de 40,8 kgfm a meras 1.300 rpm. A combinação de injeção direta e dois turbos num carro tão leve (1.600 kg) dá bem a medida de sua agilidade.

Para facilitar a vida, o câmbio é automatizado de sete marchas, com dupla embreagem e opção de trocas manuais. Na cidade, nem dá vontade de usar as (pouco práticas) borboletas de trocas. Acho que nem na estrada daria. Bom mesmo é acionar a tecla Sport (ou Sport+), que estica as marchas e garante boa dose de adrenalina.

Fora o motor e a capota rígida, que dão show à parte, o Z4 sDrive 35i vem ainda com faróis de xenônio direcionais, suspensão adaptativa, controles eletrônicos (de estabilidade, tração e frenagem em curvas), lavadores de faróis, brake-light que pisca em frenagens fortes, rodas de liga aro 19 e um sonzaço com 14 alto-falantes, entre outros itens de segurança e mimos de conforto. Para quem curte um legítimo roadster, os salgados R$ 307 mil são bem gastos. Outra opção é a versão 2.5, de 204 cv. Bem mais mansa, menos equipada, mas vendida por R$ 217 mil.

Você pode estar se perguntando: vocês ficaram rodando com uma máquina dessas só na cidade? Não foi bem assim. O cupê também caiu na estrada e na pista de testes. Os resultados você verá na Autoesporte de março, num empolgante comparativo contra o Audi TTS. Só como aperitivo: conseguimos atingir os 5,1s prometidos pela BMW no 0 a 100 km/h. A máxima é limitada a 250 km/h.

Anúncios

BMW X1 começa a ser vendido no Brasil por R$ 175 mil

Publicado: 02/02/2010 por jeftunado em BMW

Primeiro lote do utilitário esportivo chega em março.
Próximos lotes terão preço sugerido de R$ 199 mil.

                 Apresentado à imprensa em agosto de 2009, um mês antes do Salão de Frankfurt que marcou a estreia oficial do modelo, o BMW X1 chega às lojas no Brasil a partir de R$ 175 mil, de acordo com levantamento feito pelo G1. O primeiro lote do utilitário esportivo deve desembarcar por aqui a partir ds segunda quinzena de março. Depois, os interessados irão desembolsar cerca de R$ 199 mil pelo modelo. O lançamento oficial deverá ocorrer até o final do mês.

 

                 O BMW X1 marca estreia da família X no segmento de utilitários compactos premium e segue a estratégia da empresa em lançar modelos um pouco mais barato em relação aos outros carros da linha para atrair um público mais jovem para a marca. Entre os concorrentes estão Volkswagen Tiguan (R$124.190) e o Volvo XC60 (R$ 138.500).

 

                 O irmão menor do X3, tem 4,45 m de comprimento, 1,79m de largura e 1,54m de altura, com distância entre-eixos de 2,76 m. O utilitário com capacidade para cinco pessoas será oferecido inicialmente no mercado brasileiro na versão com motor de seis cilindros em linha 2.8 a gasolina de 258 cv de potência, transmissão automática de seis velocidades, sistemas de estabilização da condução (freios ABS e controle de desempenho) e tração 4X4. Segundo o fabricante, o X1 acelera de 0 a 100 km/h em apenas 6,8 segundos e alcança uma velocidade máxima de 205 km/h.

 

            O X1 tem cara de carro compacto mas não é, tem um pouco de SUV, mas é mais voltado para uso urbano, e isso deverá diferenciá-lo no mercado”, aposta Henning Dornbusch, diretor da BMW do Brasil. Em novembro de 2009, a marca bateu recorde de crescimento no Brasil com aumento nas vendas de 415,5%, em relação a novembro de 2008.

BMW cria X6 versão ambulância

Publicado: 28/06/2009 por jeftunado em BMW

Com motor 4.4 de 407 cavalos, modelo foi adaptado para pronto-atendimento

 

1

 

BMW cria X6 versão ambulância

Com motor 4.4 de 407 cavalos, modelo foi adaptado para pronto-atendimento

DA REDAÇÃO

 
Veículo transportará um paramédico para atendimento emergencial enquanto espera o carro principal

Já imaginou uma BMW virar ambulância? Apesar de se enquadrar no orçamento de poucas cidades, é isso que vai acontecer. A marca vai transformar um X6 xDrive50i em um veículo especial para hospitais. Poucos detalhes foram divulgados, mas o veículo deve conter um motor 4.4 V8 com 407 cavalos. O lançamento do modelo está previsto para o próximo RETTmobil rescue vehicle show em Fulda, na Alemanha.

2

 

O carro não é propriamente uma ambulância, mas sim um transporte para um paramédico chegar ao local do acidente com os principais instrumentos para fazer o atendimento enquanto o carro de socorro principal não estiver disponível. O processo de certificação da ambulância deve ser demorado e os interessados em comprar o X6 de emergência certamente terão que pagar um alto valor pela conversão do veículo. Agora, muitos motoristas vão querer trabalhar em hospitais.

3

BMW estuda reduzir consumo do M5

Publicado: 28/06/2009 por jeftunado em BMW

Sedã esportivo deverá receber novo motor até 2011

0,,21204033,00

A BMW leva a sério a questão do downsizing de motores e a preocupação com o meio ambiente, o que inclui o consumo de combustível. Por isso é que deve deixar de usar o motor V10 5.0 de 500 cavalos do seda esportivo M5 até 2011. Uma das alternativas seria a utilização do KERS adotado por algumas equipes de Fórmula 1 como tipo de auxílio elétrico à propulsão e trocar o V10 pelo V8 biturbo do X6.

Outra possibilidade que está sem estudo é continuar usando o V10, mas com um sistema que desliga alguns cilindros para economizar combustível e emitir menor volume de poluentes em situações em que basta apenas uma parcela pequena da potência máxima para ter boa agilidade.